sexta-feira, 7 de agosto de 2009

A culpa é dos adolescentes

Essa foi uma frase que ouvi em um círculo social outro dia desses, e que me pôs a pensar e inquirir cuidadosamente. Confesso que é tentador reduzir os problemas do mundo em uma frase de efeito como essa, mas antes de tudo vou expor o argumento utilizado pelo dono dessa frase.
Segundo o autor (resguardado pelo anonimato dessa crônica) a culpa dos males trazidos pelo desenvolvimento tecnológico e multiplicaçãos dos bens da humanidade repousa sobre os adolescentes responsáveis por instigar nos seus pais o desejo de adquirir os melhores bens, tendo que fazer para isso se esmerar e esforçar no trabalho e na produção. Em termos mais simples, ele quis dizer que a falta de freios dos pais na criação dos seus filhos adolescentes é a mola mestra que conduz os males da vida pós-moderna.
De fato, uma frase assustadoramente reducionista, mas que todavia tem lá os seus créditos. Por um lado não podemos olvidar que filhos adolescentes exercem influência fundamental sobre os seus pais de forma indelével em todos os sentidos da vida.
Por outro lado, penso que a crise mundial dos grandes bancos desses últimos dois anos nos Estados Unidos e no resto do planeta ou ainda os conflitos diplomáticos envolvendo grandes portências donas de tecnologia nuclear não tem nada a ver com o comportamento dos adolescentes, pelo menos diretamente.
Mas não duvide que a culpa dessas grandes calamidades seja dos adolescentes meu caro leitor, até por que depois que alguns cientistas falaram que um simples bater de asas de uma borboleta lá pelas imediações da Ásia pode ser a causa de um terremoto nas américas não duvido de mais nada hoje em dia.
Não duvide, por exemplo, que o simples fato de você está perdendo (ou ganhando) o seu tempo lendo esta crônica seja uma das causas pelas mortes de gripe A no México.
Com razão supracitei que a frase: "a culpa é dos adolescentes" é reducionista e ao mesmo tempo instigante, por que permite indagações sem fim.