domingo, 18 de outubro de 2009

Entre Super Mário e Fringe...

Certamente, para quem não conhece um dos joguinhos mais famosos do mundo lançado pela super nintendo, O Super Mário, ou o seriado Fringe do mesmo criado do Lost, essa crônica será inútil. Mas para todos os que são aficcionados por joguinhos da década de 90 e seriados "remakes" do antigo "Arquivo X", isso mesmo, aquele seriado cheio de aliens, monstros e investigação criminal, essa leitura é no mínimo interessante.

Para os seguidores de plantão, estabelecer um nexo entre um dos seriados mais promissores do canal de TV fechada norte-americana e o joguinho japonês de um personagem ilário e muito semelhante ao cantor latino-americano Belchior beira ao caos desse blog, ou se você quiser, ad absurdum...
Mas tenho minhas razões; e mais, razões estas autorizadas pelas tendências e teorias científicas mais intrigantes do momento.

Atualmente, a ciência quântica e algumas outras teorias beiram à comprovação de fatos como a existência de buraco negro, ou de universos paralelos, de fenenômenos chamados até de paranormais ou sobrenaturais. E não é difícil de entender o porquê dessa efervescência científica por fatos ditos fora do comum. Depois das grandes revoluções científicas e dos paradigmas da ciência e figuras do ramo como Thomas Kuhn, Karl Poper e outros, tudo no universo está passível de comprovação empírica, e mais, as teorias científicas não se comportam como pensavam alguns teóricos do passado como verdades absolutas, mas antes como postulados passíveis a erro; portanto, algumas das grandes ideias mais absurdadas de todos os tempos poderá estar sendo estudada em algum laboratório de uma Universidade em algum lugar do mundo.

Voltando ao ponto de onde inicei esse pequeno ensaio comparativo entre o joguinho Super Mário ilha do Yoshi e o seriado norte-americano Fringe há um ponto de contato sutil entre a teoria de universo paralelo muito explorado em alguns episódios do seriado Fringe e o mundo da ilha do Yoshi após as fases especiais do Super Mário. Para os não iniciados no jogo há 8 fases especiais dentro do caminho da Estrela. Uma vez vencidas essas 8 fases especiais o jogador volta ao mundo da ilha do Yoshi, porém com algumas pequenas diferenças, diferenças estas como a cor, os pequenos copas disfarçados de Mário e outras sutilezas.

É exatamente nesse ponto é que estabeleço um paralelo interessante entre as teorias do universo paralelo e o mundo da ilha do yoshi de super mário após as 8 fases especiais. No joguinho japonês o autor tomou o cuidado de não mudar muito o cenário ou os inimigos do super herói bigodudo, sugerindo a existência de um universo sensivelmente distinto desse agora em que vivemos. A existência desse universo está no fato de que existe uma gama de possibilidades posta cotidianamente a nós em que devemos tomar algumas escolhas, e que as escolhas descartadas seriam uma evidência científica de um universo paralelo ao nosso.

Não sei bem se isto procede, mas existem grandes semelhanças entre a nova fase do joguinho super mário ilha do yoshi (Nintendo, 1993) e o seriado Fringe.